Sacola

Nenhum produto no carrinho.

O ciclo da Lua e as relações com o ciclo menstrual

A Lua sempre foi considerada um marcador natural de mudanças periódicas que ocorrem nos reinos vegetal e animal, mostrando o momento certo para plantio, colheita, acasalamento de animais, caça, pesca e viagens. A dança da Lua ao redor da Terra dura cerca de 29,5 dias (o que corresponde a uma lunação), período aproximado de duração do ciclo menstrual e de um mês do calendário gregoriano. A Lua move as águas da natureza, dentro e fora da gente.

Esse texto compartilha as relações possíveis do ciclo da Lua com o ciclo menstrual.

LUA NOVA

A lua nova marca o fim de um ciclo e o início de um novo. O externo está escuro, a seiva das plantas está recolhida nas raízes e só voltará a subir quando a luz retornar. Não enxergamos bem o que está fora, mas podemos escutar e perceber melhor o que está dentro. É um momento de pausa, de descanso e de se preparar para o novo ciclo que se inicia. É um bom momento para meditar, escrever, ouvir nossa intuição e plantar as intenções. Para criar a fundação, mesmo que nem todas as sementes venham a germinar ou que todos os projetos vinguem. 

É a morte e o renascimento, assim como o primeiro dia do ciclo menstrual, quando sangramos. Nessa fase do ciclo menstrual, temos menos energia física e nossa força está voltada para dentro, para nossa energia espiritual e psíquica. Nesse período podemos ter uma maior abertura para o inconsciente, acessando sonhos, memórias e também visões para dar vida a projetos que poderão ser executados em outros momentos do ciclo. 

Outra correspondência simbólica e energética com a lua nova é o solstício de inverno, quando chegamos à noite mais longa do ano e, aos poucos, sua duração vai diminuindo em relação à duração do dia.

LUA CRESCENTE

Após a absoluta escuridão da lua nova, o Sol aos poucos volta a tocar mais e mais a superfície da Lua. Ela reflete essa luz para a Terra através de um fio de luz no céu que cresce a cada noite, iluminando cada vez mais os caminhos que os animais noturnos percorrem e estimulando a seiva das plantas a subir lentamente em direção às folhas. Toda a natureza vai respondendo a esse estímulo, direcionando aos poucos sua energia ao exterior, assim como podemos nos sentir na fase pré-ovulatória.

Nessa fase podemos nos sentir mais dispostas e ativas. É um momento de ação, expansão, esperança e crescimento, de direcionar nossa energia para fora e nutrir aquilo que queremos ver crescer no mundo. Essa fase nos coloca para estar em contato com o que há de belo dentro de nós, com o amor próprio e a confiança necessária para fazer as coisas acontecerem. 

Outra equivalência simbólica e energética com a lua crescente, além da fase pré-ovulatória, é o equinócio da primavera.

LUA CHEIA

Na lua cheia, temos o ápice de luminosidade da lua refletida para a Terra. Esse é considerado um momento para a colheita ou o recebimento das dádivas do que foi trabalhado na primeira fase do ciclo. A seiva das plantas está concentrada no topo e nas extremidades da árvore, mais perto do céu iluminado. Por isso, esse é o melhor momento para colher plantas medicinais e aromáticas, que estarão com os mais altos níveis de seus ingredientes ativos em suas folhas e flores. É um momento de fertilidade, assim como na fase ovulatória do ciclo menstrual.

A energia da fase ovulatória do ciclo menstrual pode ser de celebração, de gratidão, de olhar com nitidez para aquilo que estamos criando e semeando no mundo e de trazer nossa intenção e energia para potencializar aquilo que queremos ver crescer. É um período bom para socializar e celebrar. Podemos nos sentir mais atraentes, confiantes, comunicativas e com mais desejo sexual.

Outra equivalência simbólica e energética com a lua cheia, além da fase ovulatória, é o solstício de verão.

LUA MINGUANTE

Após o ápice da lua cheia, ainda temos alguns dias de muita luminosidade lunar noturna, mas aos poucos ela vai minguando. A face visível da Lua vai deixando de receber a luz do Sol e isso se reflete nos seres da Terra, que iniciam uma descida para o interior, um retorno à intimidade. A seiva das plantas começa a descer em direção às raízes na medida que nos aproximamos da próxima lua nova. Quanto menos enxergamos o ambiente externo, mais abrimos os olhos internos. Neste momento em que a luz começa a diminuir, a interiorização vai se intensificando, assim como no período pré-menstrual no ciclo menstrual.

Nessa fase podemos nos sentir mais sensíveis aos ruídos e olhares externos. Podemos sentir nossa força criativa e poder intuitivo aumentando. Para manifestar esse poder pessoal precisamos soltar e deixar para trás o que pode estar nos bloqueando e abrir espaço para o novo. A fase da pré-menstruação ou #TPM nos chama para a responsabilidade. Essa fase é uma preparação para aquilo que precisa morrer para que algo novo nasça. Pode ser um momento de revelação, de trazer à tona o que estava sendo omitido ou reprimido. Quando olhamos para essas possibilidades, entendemos porque essa fase pode ser tão intensa e internamente movimentada. Esse pode ser exatamente o momento de ouvir o que precisa ser ouvido e deixar que nosso mundo interno nos revele o que está escondido atrás das nossas angústias, medos, frustrações e impaciências. Saber escutar e honrar essa fase nos ajuda a curar a nossa relação com ela. 

Outra equivalência simbólica e energética com a lua minguante, além da pré-menstruação, é o equinócio do outono.

Importante lembrar que cada pessoa tem um ritmo único e exclusivamente seu e que não há a necessidade de se encaixar em nenhum padrão.